terça-feira, 16 de abril de 2013

Cavernas de Ajanta - Índia

CAVERNAS DE AJANTA






Ajanta é um conjunto de cavernas com pinturas rupestres de inspiração budista em Maharashtra (Índia) que remontam ao século II a.C.. As grutas, comissionadas pelos Vakatatas, são um testemunho sem interrupção da história religiosa do budismo, durante um período de 700 anos.
No século XVII, o Budismo começou a desaparecer, e lentamente Ajanta foi esquecida. As grutas foram redescobertas por um oficial daCompanhia das Índias Orientais em 1819, depois de vários séculos. Intrigado pelo visual de uma formação fora do comum, o seu grupo aventurou-se a ir mais baixo para descobrir Ajanta. Desde então tem havido muitos esforços de restauração para conservar as grutas especialmente as pinturas.
Através de Ajanta nós podemos aprender sobre as várias facetas da vida antiga na Índia – desde o traje do povo, o trabalho artístico dos artesãos e as crenças religiosas daquela época até à posição política e económica dos governantes.
Hoje, as grutas de Ajanta são um dos principais destinos turísticos da Índia e foram declaradas Património Mundial da Unesco em 1983.













  • A pouco mais de duas horas da antiga cidade de Aurangabad se situam as famosas Cavernas de Ajanta, trinta e duas grutas que não são de todo naturais mas que foram talhadas nas colinas a milhares de anos por trabalhadores que apenas utilizaram cinzéis e martelos. Esculpidas na rocha vulcânica de basalto, os artesãos foram meticulosamente cinzelando pouco a pouco a rocha, Talhando as colunas em lugares estratégicos e criando vários quartos dentro da rocha. As paredes e os tetos foram maravilhosamente decorados e com aplicações de gesso criaram pinturas coloridas.
  • Vista geral do lugar
  • A maioria das pinturas tem mais de 1500 anos. Dez séculos antes do nascimento de Miguel Ângelo, de Leonardo da Vinci e do renascimento europeu, esses artistas desconhecidos já sabiam como descrever a perspectiva, a profundidade e o realismo em suas pinturas. As expressões e emoções capturadas nos rostos das pintura, são tão reais que hoje, depois de vários séculos, podem ser admirados.
 A caverna mais antiga remonta ao século II antes de Cristo . Algumas delas são Viharas ou monastérios, grandes câmaras com quartos pequenos que conduziam para fora da sala principal e era onde viviam os monges. Alguns destes quartos tem camas de pedra talhada, com uma almofada na qual o monge podia descansar sua cabeça.

 O resto das cavernas são Chaityas ou templos, muito similares as catedrais cristãs, com tetos abobodados e com vigas de madeira que se cruzam em nervuras, com pilares de pedras decorados, e na nave central (onde uma igreja cristã teria seu altar) uma grande estátua de Buda. Há que se recordar que estes templos de pedra foram talhados muitos séculos antes das catedrais cristãs, o que pode levar a especular se não foram estas cavernas a inspiração para os grandes arquitetos da Idade Média, e não os templos clássicos gregos e romanos.
  •  É surpreendente pensar que, os grandes mestres que criaram estas maravilhas, 
  • só contavam com pequenas ferramentas de trabalho. Ainda assim nos legaram algo universal, mágico, e que hoje podemos contemplar. Os séculos parecem pequenas gotas de água nas Paredes destas cavernas.





















2 comentários: